domingo, 9 de setembro de 2012

Como é constituída uma motherboard


motherboard ou placa-mãe em Português, é a placa principal (mainboard) de um computador, onde são conectados todos os componentes essenciais para o funcionamento de um computador ou portátil. No artigo de hoje vamos explicar as partes principais que fazem parte desta placa.
Para a maior parte das pessoas, a parte interior de um computador pode ser algo completamente estranho, com inúmeras placas e fios. Queremos com este artigo, dar a conhecer um pouco mais sobre a placa principal do computador, a motherboard, e a sua constituição. Em futuros artigos, explicaremos em detalhe para que serve cada componente que pode ser conectado à placa principal.

motherboard-placa-mae-placa-principal-partes-componentes

1 – Portas de comunicação

Nesta zona podemos conectar os mais variados dispositivos ou periféricos. Os mais conhecidos sãs as portas USB (as duas entradas laranjas superiores), para a ligação de ratos, teclados, impressoras, entre outros. Encontramos ainda uma entrada SATA ou eSATA, para a ligação de unidades de armazenamento externas. Ao centro temos as portas de rede Ethernet, para a ligação de um router, por exemplo. Por fim, e à direita, existem vários conectores coloridos, para a ligação de colunas, microfone ou saída de áudio, para um amplificador, por exemplo.

2 – Portas PS2, VGA, HDMI, etc

Nesta parte da placa, temos uma entrada PS2 (à esquerda e a azul), para os antigos teclados e ratos, já praticamente em desuso. Em baixo, mais portas USB e mais à direita três portas para a saída de dados de vídeo, respectivamente, uma saída analógica VGA (em cima a azul), em baixo uma saída digital DVI e à direita outra saída digital HDMI, todas elas portas para a ligação de um ou mais monitores.

3 – Chipset Northbridge

Os chipsets são habitualmente constituídos por dois chips e o northbridge é o mais importante. Situado a norte (north) da placa principal, este chip está situado próximo do processador (CPU), de forma a estabelecer a comunicação entre este e a placa gráfica, as slots de memória, etc.

4 – Chipset Southbridge

southbridge, mais a sul da placa principal, tem a igual tarefa de estabelecer a comunicação entre vários periféricos, mas neste caso entre as portas USB, portas de rede, portas SATA, PCI, etc. Em alguns computadores mais recentes, existe apenas o southbridge, já que os processadores já incluem um controlador.

5 – Slot PCI / Entrada PCI

Esta ranhura, já quase em desuso, existe em algumas placas principais, de forma a manter a compatibilidade com placas mais antigas, como placas de som, placas de rede, etc.

6 – Slot PCI Express x1

Esta entrada serve para adicionar placas com funções extras, como uma placa de som, por exemplo.

7 – Slot PCI Express x16

Esta ranhura é reservada para a placa gráfica, podendo existir uma ou mais ranhuras PCI Express 16, para ser possível ligar mais do que uma placa gráfica e assim aumentar o desempenho nos jogos e programas que necessitem de maior velocidade de processamento gráfico.

8 – Socket do CPU

Esta é a zona onde vai encaixar o CPU, ou processador. Com diferentes formatos, os sockets mais comuns são o AM2+ e AM3 para os processadores da AMD e o LGA1156 para os processadores i3, i5 e i7 série 800 da Intel. Os processadores i7 da série 900 já exigem motherboards com socket do tipo LGA1366.

9 – Slots de Memória

Os vários módulos de memória são encaixados nestas ranhuras. As memórias mais utilizadas actualmente são as do tipo DDR3, sendo ainda utilizadas algumas do tipo DDR2. O tipo de memória está associado à menor ou maior frequência a que funcionam, existindo por exemplo memórias DDR2 com uma frequência de 800 Mhz e memórias DDR3 com uma frequência de 1600 MHz, sendo estas, obviamente, muito mais rápidas.

10 – Pilha

A pilha, ou bateria (do tipo 2032), serve para armazenar todas as configurações básicas do computador, quando este está sem energia. A sua vida útil pode variar entre os dois ou mais anos, mas habitualmente trocamos de computador antes da bateria se gastar!

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

10 dicas para melhorar o sinal da sua rede Wi-Fi


Hoje em dia, é difícil imaginar um computador em casa sem acesso à rede via Wi-Fi, pois a maioria das pessoas já prefere o uso de notebooks pela comodidade e praticidade. Outro fator importante são os smartphones: quem utiliza esses aparelhos sabe que não é possível confiar nas redes 3G o tempo todo, e a primeira oportunidade de pular para o Wi-Fi é sempre bem-vinda.
O problema é que algumas vezes esse tipo de conexão pode apresentar problemas. Seja por interferências de outros equipamentos, pelo mau posicionamento do roteador ou até mesmo pela baixa qualidade do aparelho.
A seguir, vamos conhecer 10 dicas muito boas para resolver de vez todos os problemas que você possa ter com o Wi-Fi.
10 dicas para melhorar o sinal da sua rede Wi-Fi 
(Fonte da imagem: Divulgação/Cisco)

1. Mantenha seus equipamentos atualizados

Assim como todos os equipamentos eletrônicos e tecnologias, a Wi-Fi está em constante evolução, portanto, sempre que puder, você deve atualizar os seus aparelhos para garantir sempre mais velocidade e confiabilidade na transmissão de dados.
Existem quatro padrões IEEE 802.11 para redes sem fio atualmente: A, B, G e N. Enquanto o padrão B transfere os dados com até 11 Mbps de velocidade, os padrões A e G conseguem transmitir informações em até 54 Mbps. O mais moderno é o formato N, que consegue enviar e receber dados em até 600 Mbps.
Para conseguir atingir velocidades maiores de transmissão, você precisa ter um roteador que seja capaz de transmitir no padrão N e uma placa de rede compatível com esse formato. As placas de rede mais antigas podem ser substituídas com facilidade. Já os roteadores  precisam ser trocados por modelos mais novos.

2. Posicione o seu roteador no melhor lugar possível

Mesmo que o seu roteador não combine com a decoração de sua sala de estar, não é aconselhável que você o esconda atrás de algum móvel. É extremamente importante que ele fique posicionado em um local alto e completamente livre de obstáculos. Afinal de contas, ele é um transmissor de sinal e precisa de espaço.
O ideal é deixar o equipamento no local mais central de sua casa, assim você garante a melhor cobertura de sinal possível até nos cantos mais distantes. Outra dica importante é manter o aparelho em um lugar alto, como em cima de alguma prateleira, ou preso na parede mesmo.
Algo que muitas pessoas fazem ao perceber que o sinal está fraco é posicionar as antenas do roteador em direção ao local em que você está. Isso é completamente errado, afinal de contas, o roteador não é uma antena de TV. Portanto, para garantir a qualidade do sinal, deixe sempre as antenas do aparelho apontadas para cima.

3. Procure um canal de transmissão que esteja liberado

Os roteadores transmitem ondas de rádio e, para que o sinal possa trafegar sem problemas, ele precisa de um canal de comunicação que não interfira em outros aparelhos.
Como hoje em dia quase todo mundo possui um equipamento desses em casa, é normal que existam conflitos, principalmente se eles utilizarem o mesmo canal de transmissão.
Mas como descobrir qual o canal mais adequado para utilizar? Existe um programa para aparelhos Android muito eficiente chamado Wi-Fi Analyser que pode responder essa pergunta. Após descobrir qual dos canais está sendo menos utilizado, reprograme o seu roteador e aproveite o sinal de rede muito mais estável.
10 dicas para melhorar o sinal da sua rede Wi-Fi 
(Fonte da imagem: Reprodução/Baixaki)

4. Livre-se de aparelhos que causam interferência

Além de outros roteadores próximos, existem diversos outros equipamentos que podem causar interferência em sua rede. Telefones sem fio e fornos de micro-ondas estão entre os principais responsáveis por isso.
10 dicas para melhorar o sinal da sua rede Wi-Fi 
(Fonte da imagem: iStock)
Para evitar esse problema, você pode adquirir aparelhos de telefone ou roteadores com frequências diferentes. Caso instalar novos equipamentos não seja uma opção, simplesmente posicioná-los longe um do outro pode resolver os problemas na maioria dos casos.

5. Aumente a segurança de sua rede e livre-se dos ladrões de sinal

Mesmo que o seu roteador já tenha uma senha cadastrada, pode ser que ela seja muito simples e algum vizinho oportunista esteja roubando o sinal de sua rede, deixando-a lenta. A melhor maneira de evitar que esse tipo de coisa aconteça é escolher um padrão de segurança mais avançado, como o WPA.
A senha deve ser de difícil acesso, sempre misturando letras e números. Assim como todos os códigos de segurança, você deve mudá-lo frequentemente. Para evitar que outras pessoas identifiquem a sua rede e possam tentar “adivinhar” a senha, evite usar nomes que indiquem de onde é o sinal, como “Wi-Fi do fulano”. 
10 dicas para melhorar o sinal da sua rede Wi-Fi 
(Fonte da imagem: iStock)
Uma última medida, um pouco mais radical, é limitar o número de conexões ao seu roteador pelo endereço MAC da placa de rede. Funciona assim: o acesso ao equipamento fica completamente bloqueado, a não ser para o código MAC que você liberou, no caso, o seu notebook ou smartphone, por exemplo.
Essa é uma boa medida de segurança, mas pode ser um incômodo ter que adicionar o MAC de cada amigo seu que vá visitar a sua casa e precise utilizar a sua rede.

6. Controle aplicativos que sequestram toda a banda

Programas de download, como BitTorrent, jogos online ou streaming de vídeo podem comprometer muito o sinal de sua rede Wi-Fi. Se em sua casa várias pessoas compartilham a mesma rede, é possível que uma máquina esteja consumindo a maior parte da banda e limitando o uso para os outros computadores.
Para resolver esse problema, você pode utilizar uma ferramenta presente em quase todos os roteadores Wi-Fi, que é o QoS (Quality of Service ou simplesmente Qualidade de Serviço).
O que o QoS faz é priorizar a transferência dos dados por protocolos, ou seja, você pode colocar chamadas em vídeo na frente do Torrent  ou, se você quiser, pode bloquear completamente algum programa.

7. Aumente o sinal do seu Wi-Fi com truques caseiros

Se nenhuma das alternativas anteriores funcionou, você pode tentar modificar a antena do seu notebook ou roteador. Existem diversas maneiras simples de amplificar o sinal de sua rede Wi-Fi.
Você pode simplesmente comprar uma antena mais nova e mais potente ou seguir esta dica do Tecmundo e amplificar o sinal de sua rede utilizando uma forma de bolo. Nós já fizemos essa experiência e já nos certificamos de que ela funciona mesmo.
10 dicas para melhorar o sinal da sua rede Wi-Fi 
(Fonte da imagem: Tecmundo)

8. Aumente a intensidade do sinal de seu roteador hackeando o aparelho

Talvez hackear seja um termo exagerado, uma vez que você vai simplesmente reinstalar um novo firmware no roteador. O firmware é como se fosse o sistema operacional do equipamento, controlando todas as suas funções.
Existe uma configuração que costuma resolver muitos dos problemas de sinal, que é o aumento da potência das antenas. Infelizmente, poucos roteadores trazem essa opção de fábrica, pois ela pode danificar a máquina, já que a intensidade do sinal aumenta em troca da sobrecarga em alguns componentes. Mas, se você já tentou de tudo e não obteve sucesso, por que não tentar essa modificação?
Existem firmwares modificados que podem transformar o seu equipamento antigo em uma verdadeira máquina cheia de recursos modernos, entre eles, a possibilidade de amplificar o poder das antenas e outras modificações. Os mais conhecidos são o DD-WRT e o Open-WRT. Apesar de a instalação desses sistemas ser um pouco complicada, no final o processo acaba valendo a pena.
10 dicas para melhorar o sinal da sua rede Wi-Fi

9. Transforme o seu antigo roteador em um repetidor de sinal

Se algum cômodo de sua casa não consegue receber sinal adequadamente, você pode colocar um roteador antigo no meio do caminho para amplificar o alcance da rede. Infelizmente, nem todos os roteadores trazem essa função de fábrica.
A boa notícia é que quase qualquer roteador comum pode ser um repetidor de sinal. Para fazer isso, você pode instalar o DD-WRT, como já foi mencionado anteriormente. Depois de modificar o aparelho, basta configurar o equipamento para que ele retransmita o sinal do primeiro roteador.

10. Programe o seu roteador para que ele reinicie esporadicamente

Muitas vezes o roteador pode travar por causa do aquecimento. Para restaurar a “sanidade” do equipamento, você pode reiniciar ele de tempos em tempos manualmente.
Isso é outra vantagem de nosso amigo DD-WRT. Com ele, você pode mandar seu roteador reiniciar todas as noites, por exemplo.  Isso é muito prático se ele ficar em um local de difícil acesso.
Fonte: Lifehacker


Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/tecnologia/28284-10-dicas-para-melhorar-o-sinal-da-sua-rede-wi-fi.htm#ixzz25bhS2S9j

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Primeiras impressões: Windows 8

          Bom dia pessoal, hoje pela amanha instalei o Windows 8(Release Preview) em meu Netbook Acer Aspire one D255 processador Atom 2GB de mémoria, micro razoável. Na parte de instalação não tem muito segredo é praticamente a mesma coisa que o Windows 7, até o presente momento SO muito leve, só não consegui usar os apps, pois é preciso ter uma resolução de tela mínima de 1366 x 768 e a tela do meu net é de 1024x600. Para o pessoal que não gosta muito de mudanças achei fácil de lidar, o que pode confundir um pouco é a constante transição entre as interfaces Metro e Desktop, mas com o tempo acaba se acostumando. Esse windows veio para revolucionar, se isso vai ou não ser o suficiente para convencer os críticos é outra história.
         O Release Preview é a terceira fase de testes públicos do Windows 8. Anteriormente, já havia sido disponibilizada a versão Developer Preview (para desenvolvedores) e a Consumer Preview. A Microsoft ainda não divulgou a data de lançamento do Windows 8, mas espera colocar a plataforma no mercado até o fim de 2012. Alguns analistas de mercado acreditam que o produto deverá chegar às lojas em outubro.

Minha área de trabalho (Metro).

Segue o link para download nos sistemas 32bits e 64bits para quem quiser experimentar http://windows.microsoft.com/pt-BR/windows-8/download
é só baixar e gravar a imagem iso em um dvd.
Abraço fiquem com Deus.

Instalando o antivírus gratuito Microsoft Security Essentials no Windows Server 2012.

You want to install free antivirus for Microsoft Windows 2012. Solution Aside from limited trials, there is no true free antivirus for Mic...